sábado, 1 de abril de 2017

ÃNIMA ANÔNIMA

ÃNIMA ANÔNIMA
***********************
aba
da flor
jasmim
crave
do cravo
mineiro
rama de luz
metal lunar
prateado
adorno
decora
aba da flor
decoro
adorna
colibri
menino
veste
na flor
o bulbo
aba da flor
abra
e retira
da sombra
olhar de lírio
cara estampa
de min e
rosas
colírio
declama
de cor
poliniza
 e rema
e rima
sua
lisboa
teima
rômulo
de roma
em franca
reina matre lingua
um feito
homérico
teta da lua
na cama
catre
jardim
vem
e ata-me
a este
poema-ânima
aba da flor
anônima

domingo, 26 de março de 2017

MONUMENTO MAQUINARIA

Quando disse Deus 'haja luz'
criou as estrelas no firmamento
mas uma delas desviou-se da rota 
e profundo caiu marinha do eterno breu.
Porque não existe acaso, de todas
aquela era a mais bela porque
possuía da Glória vera eletricidade.
Foi ela por ser tão jovem e bela
a estrela-menino que tudo faria.
Incandescente sorriu iluminando
no mar as águas, abriu a terra...
Cultivando florestas semeou vida
e separou o abismo das montanhas.
A estrela criança, força inconcebível,
da luz que tinha energizou o barro
de onde ergueu o homem feito nossa
imagem, um monumento - maquinaria!

SAUDADE NOSTALGIA NEBLINA

  É difícil extrair quem somos do que nos disseram ser. O nome que damos as coisas também tem nome, é o tal substantivo. Substantiv...