Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 30, 2015

MEMORIAL DA SÚPLICA - fragmento

Ouço o som que emana das árvores, das cascas podres das árvores, das sementes das árvores debaixo da terra. Penso que meus pensamentos são como sementes enterradas. 
Então sinto o peso da terra, o peso do pó e da terra.

Antônio B.

UMA PASSAGEM PARA O POMAR

I
Por um instante
maior que toda falta
à entrada do pomar
o pé ainda suspenso
no ato mesmo do primeiro passo,
a bocarra da eternidade revela-me os dentes de suas engrenagens.

Cuido de ser milagre e graça alcançada
mas desfaleço.

No fim do eterno passo
o que me resta é o chamado
da terra em minhas veias.
Então,
inclinado e de mãos igualmente pensas,
adentro o pomar
mudo como antes
quem sabia da terra por apenas cultivar.



II
Sou um jardineiro
meus pensamentos fogem  do alcance das palavras
penteio raízes, rastelo folhas secas
as folhas secas vigiadas pelo sabiá atento.

As sementes soterradas longe das copas
também escapam de qualquer alcance.

O sabiá espreita o verme cego que por desgraça emergiu do silêncio
enquanto alçam voo de gravidade penosa
o que pensei ter sido.

Nesse pomar
desenterro meus pensamentos
deitados, sobrepostos hieráticos na umidade
da cova pensada que por descaso fingido resvalo.

E de novo detém-me o passo
o pútrido cheiro de morte, escavo.

Um anjo monta guarda à en…