terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Obama por nós, Senhor

Obama foi içado por um helicóptero e levado até a boca da cratera, cratera por falta de melhor definição, o que temos é a entrada do grande fosso que desde o século dezenove fora usado como depósito de lixo. Do alto uma câmera acompanha a entrada e perdemos de vista o presidente dos Estados Unidos da América. Pisamos agora solo firme no fundo do abismo e não se vê mais nada de lixo. O que acontece é uma metamorfose, o lixo está transformado em um admirável mundo novo, subterrâneo, extraterrestre e ainda no útero da terra, tudo é limpo demais, e tem cheiro de alumínio. Sabemos que uma catástrofe está para acontecer porque há registros de abalo sísmico de origem ainda a ser investigada, mas não temos tempo para observações, são escadas intermináveis e elevadores que deslisam horizontalmente. Os cientistas estão vestidos à paisana e é Obama quem vê primeiro o fogo fátuo. 




domingo, 15 de janeiro de 2012

A HISTÓRIA DE SEVERO

Severo nasce. De parto natural e prematuro, chegou ao mundo duas horas e vinte minutos antes de ser bem-vindo, à caminho da maternidade quando seus pais discutiam o que fazer com o primeiro salário do filho mais velho. Deram-lhe um nome justo, sonoro e condizente com a prerrogativa, naquela época em voga, de que a vida não é fácil pra ninguém. Quase autista e desapercebido Severo cresce e de suas atitudes, copiadas dos adultos, a fala é o que impressionaria uma visita de domingo, quando não sem demora ali está um comentário atrevido de quem parecia ausente, e todos o ignoram mais uma vez dado a pertinência das palavras na boca de uma criança. Quando não, sem demora, Severo já está envolvido noutra aventura sozinho, entre os muros, perto da fila de formigas que cavam a terra até o centro para que a terra possa continuar respirando, e vai o menino salvar o planeta sem saber que ninguém poderia tê-lo criado. Severo apenas desconfia que alguma coisa não fora contada e decide num dia de chuva que vai desvendar todos os mistérios.

A VIDA NÃO VALE O DRAMA

já não me interessa discutir quem veio antes se o ovo ou a galinha se a arte copia a vida ou se a vida a imita  certo é que o drama é meno...