sexta-feira, 14 de outubro de 2011

LEITURA DOS SIGNOS DE UMA IMAGEM ( escrito em 2014)

Leitura dos signos de uma imagem
para Tita, como água para ouvir música.


***
Vejamos, o plano se divide em dois. No segundo plano vê-se um estacionamento cercado por Oiti e uma tuia italiana, o que parece ser duas pessoas se desfigura entre as árvores. No primeiro plano outras duas figuras se afirmam como sujeito no fotograma, a saber um cão e uma moça. Sabemos o nomes dessas "criaturas" o cão é uma cadela Chow-chow de um ano e pouco e a moça é Tita, minha sobrinhaLetícia Macedo.

O tom da pele e do pelo tendem para o marrom que contrasta com o metal-alumínio frio da janela que as separam dos carros, parados enfim, no estacionamento. Fêmeas que têm posto o olhar na mesma direção ainda que, à propósito das diferenças entre as espécies, podemos imaginar que o objeto do olhar seja para cada uma endereço diferente.

Mas está no direcionamento desse mesmo olhar o que as torna sujeito na imagem registrada e dada à mim "como presente".

SOMOS NATIMORTOS JÁ QUE NASCEMOS DE PAIS NÃO VIVOS é uma frase de efeito escrita por Dostoiévski em "Memórias do subsolo", no século dezenove, e aqui me aproprio dela para lançar mão do mesmo efeito que é, sem falsa modéstia, me identificar com os vivos. Pois que ambas estão vivas no sentido pleno da ideia, nasceram de pais que vivem a vida e nela se pronunciam.

Tita pensa que vai se dar bem na vida estudando e pretende cursar sei lá o que da área de humanas, e lê bem os texto que lhe caem nas mão mas, o que se desprende dela que denota mais graça é o fato de saber ler música. E toca bem e de primeira qualquer, QUALQUER música que esteja cifrada, e se lhe derem o ritmo ela vai encantando com sua timidez, de nota em nota. Agora repare que a cadela parece ver alguma coisa especial, pois que sua atenção está bem direcionada...

Seja o que for que prende a atenção delas, o que nos une ao vê-las é a sintonia sentida como um abraço. Aquele abraço.
*
*
Baltazar




terça-feira, 11 de outubro de 2011

cocada como água para chocolate


MODO DE FAZER:







É preciso força para quebrar cada coco e mantê-lo sob água 



corrente e fresca. Antes de misturar com paciência e 





determinação o coco ao leite condensado é preciso esperar 





que o leite, até agora a pouco ainda no úbere da vaca e esta 




no campo, chegue ao ponto. Paciência e determinação são 





ingredientes imprecindíveis e, ao longo do dia, uma certeza 





vai tomando forma em cada idéia germi
nada, como a 

castanha que esconde seu fruto protegendo-o. Depois de 

pronta sirva como sobremesa e parecerá ao paladar que a 

ideia arrebatou os sentidos como tantas vezes nos ocorreu 

na infância. À mim recorre a imagem do Toninho correndo 

pra venda onde a familia tinha "caderneta" pra assaltar a 

prateleira de doces e desde então na dúvida: qual deles? 

COCADA!!!!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

INSX


introdução
introdução
apresentação dos conteúdos
apresentação dos conteúdos
desenvolvimento da trama
desenvolvimento da trama
ápice
vórtice
climáx
águas tranquilas
sonhos desfeitos
ventos amenos
Eterno enquanto o som do suspiro dura e tão bonito como um encontro
sem a pretenção de sermos felizes.
 ... sem demora, sem paciência, na espera. Custa-nos que a vida que poderia ter sido se recomponha sem sobressaltos, por que é do alto que os anjos vieram.

AMABILÍSSIMO

onde está o próximo, o distante onde fica? a cabeça oca e o coração no cio de toda gente estão vazios. finjo fugir da forma ana...