Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 2, 2011

DONA EULÁLIA, GÊNESIS CAP 1 VRs 3

_ Como posso ter mergulhado para cima tão fundo que de cá a terra ficasse pequenininha e azul? Com a vista cansada, no silêncio germinal da madrugada, Dona Eulália admira o motim das letras:
"O levante se deu no oitavo dia. Toda coisa criada pronta descaçava sem trabalho. No primeiro dia de funcionalidade, a engrenagem mostraria movimento a que veio. Então o breu eterno agoniza em erupção, é o único instante perfeitamente completo. O espetáculo começa. Haja luz, alguém disse. O Um cabalístico da manufatura se quebra e o caos multiplicado por si cospe hélio e hidrogênio para fundir h.a.j.a. l.u.z. É o motim das letras. O sem nexo não criado ganha phormha, ganha khores, ganha luouzes, ganha reflexonçz e brilhons. As palavras ganharam ckllor e sonzss."
_ Que maravilha, nenhuma lei, nenhum controle, nenhum domínio. A essa altura o Criador deve ter se retirado à procura de pontuação. Satisfeita, Dona Eulália sonolenta fecha a Bíblia.



Passamento

P a s s a m e n t o





O que penso não é pensamento, é sugestão. 

Quando penso pra valer, não estou a pensar 


mas escrevendo.




‎"O que importa ao 


ferro é que pertença 


ao poste

e a este que esteja 


posto de pé

ereto, porquanto seja forte!




QUERIA QUE NÃO SE PERDESSE, É MUTO POESIA PRA SER DELETADO quando você fecha os olhos...  GUARDO, NÃO GUARDA! 



Difícil escolher uma ponta do fio para desnovelar a narrativa de uma história, a vida cuida de fazê-lo por nós e as vezes, somente as vezes, é que tomamos a pena para escrevermos a nossa própria. Quando isso se dá o céu se abre num riso estelar.


O que você pensa de olhos fechados?

Hino de Itanhaém

Hino de Itanhaém Composição de Roberto Gonçalves Juliano
Num dia assim, como se fosse o maior,
Esta paisagem se pintava de azul,
Nas formas vivas, vistas lá do alto,
A natureza de Calixto em tons de amor.
Num dia assim, todo banhado de sol,
Martim Afonso ancorava as caravelas,
De paixão por estas serras, céu e mar, beleza e cor.
Itanhaém,gente da terra,
O som da pedra e do mar,
Tem novo canto, um Deus de encanto,
Anchieta a ensinar,
O que nasce de glória só tem
por destino iluminar,
Na raiz de teu povo, razão pra sonhar.

Itanhaém, ilha do tempo,
A foz do rio de abraço ao mar
Lição da vida querida,
Não param de chegar
Os teus filhos do leste,
Do norte, nordeste, de todo lugar,
O caminho da história, no berço do mar.

ATA DO CONSELHO

ATA DO CONSELHO


"Da mão que enfim se pronuncia."




Ata de conselho pode ser leitura obrigatória para os que nele tiveram voz, para os demais, se entretenimento é o que cada um busca lendo, alheios no silêncio que precede as palavras, desaconselhável. não seria o caso então,  senhores, contar o ocorrido nesse conselho, idêntico tanto na forma como no conteúdo aos demais já registrados à exaustão, bem documentado no registro a que o título faz referência , se não viesse À público o teor dramático das conversações ali penhoradas, obra do acaso que fez comparecer na sala de reuniões da escola a mãe de um aluno interessada na situação de aprendizagem do filho. chegou cedo e foi tomada por outra, uma professora recém contratada que assumira o cargo hoje ou amanhã, hoje temos a mãe amanhã a mestra, a mãe é filha de maria na congregação dos filhos de maria, a outra é especialista, do filho importa sabermos, já que não está presente, o diagnóstico, atestado por oftalmologistas renomados,…

GRAAL

Se de Minas trouxe pra mim oferendas que trazia, agora deposito à seus pés  o que de graça a ressaca deixou como fantasia... recebi um graal, de barro! É coerente seu protesto:  mas nem o deus de Isaías o faria de plástico... considere a maré.  E prossigamos por ali que é de onde o sol nasce e nos obriga a contemplar aquela mistura de sangue e leite só possível no poema de Drummond. São conchas que o turista se cansou de resgatar, águas vivas mortas dadas aos urubus. Que os há na praia não se engane, é um favor que nos faz, um serviço, diríamos, de camarão e não se pode reclamar da Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo pelo cheiro que se fará sentir depois do meio dia. São restos, migalhas, desproporções cheias de cores, rosas branca e vermelhas, sim, candomblé, mandinga, oferenda... Alguém acreditou e depositou, por fé, algo belo e sublime num túmulo líquido e aí as temos, passemos ao largo dela porque não é de bom tom que se interfira nos desígnios do alto. O mar se agiganta…