sábado, 10 de setembro de 2011

Se eu fosse eu - Clarice Lispector por Aracy Balabanian

Depois eu conta como seria se eu fosse eu


idiossincrasia, essa palavra é minha


"idiossincrasia, essa palavra é minha."

Dito assim, com força, como quem toma para si o que pertence a todos, por direito, por conquista, por efeito especial da vida, que a vida, a Vida, ah! a vida. Como diz Cecília Meireles: a vida só é possível se reinventada! E é assim que a Juliana sobre-vive: morrendo em cada passo deixado na areia para renascer na escolha do passo seguinte. De frente pro mar, abraçando o continente.




Postei um comentario ontem você viu?

 
IDIOSSINCRASIA......PALAVRA DESCONHECIDA PARA MUITOS, MAS UM DIA FOI ME APRESENTADA... ENTÃO ME SENTI LIBERTA... MINHA PRÓPRIA MANEIRA DE VER;DE SENTIR E REAGIR!!! QUE GRATA SURPRESA ENCONTRÁ- LA AQUI (no blog), EM MEIO A TANTAS OUTRAS; TORNANDO CONHECIDO O MAIS NOBRE DOS SENTIMENTOS: O AMOR....

http://depoiseuconta.blogspot.com/2011/09/palavras-pra-dizer-te-amo.html

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Amy - a cachorrinha negra...

A história é o seguinte.
Esse filhote apareceu no portão da escola à tarde e chorava. O tempo seco, a rua vazia, o portão fechado e chuva só a da semana passada. A Rosângela que já tem um fila em casa acolheu a criatura, deu banho, tirou as pulgas porque tinha muitas, e alimentou. Já numa caixa de papelão e com brilho nos pelos eu a encontrei na biblioteca. Ficamos por ali: ela na caixa, eu na escola... uma pausa de mil compassos. Fizemos uma sessão de fotos com a modelo negra entre os livros e parece que ela lê muito! Uma cadelinha de raça, de sorte e de graça



o Baltazzar


Rosângela (amiga do trabalho dia-a-dia)



Amazing Grace - Jotta A



terça-feira, 6 de setembro de 2011

PRAIS ORDENADAS

Plantei um manacá na casa antiga
onde morei
a casa fica na cidade
e ao campo se chega por uma estrada que ainda não foi asfaltada

Nela foram esquecidos mandacarus
que já deram frutos
mangueiras e uma paineira que está florida

mais adiante, quando caminho,
molho os pés no igarapé e lembro dos lebistes
que criava quando menino

Hoje não crio mais peixes
e os cães que latem estão na memória
e na memória está o perfume do manacá
de onde trouxe esse bouquet pra te dar.



EVANGELHO COMENTADO:  "quem é minha mãe ou meus irmãos"?

Marcos Cap. 3 Vrs 20-21 e 31-35




Essa passagem do evangelho é particularmente forte. Ao ler sentimos o desejo de fazer parte da comitiva que acompanhava o Mestre. Sua permanência entre os homens parece ter sido uma festa e aqui o encontramos durante uma refeição, de certo que simples, o pão está na mesa e uma multidão espera sua vez. Mas nem todos vão participar da ceia, aqueles que estão do lado de fora precisam ser anunciados se quiserem tomar o lugar de quem já está à mesa. Nossa surpresa será saber que quem aguarda o anuncio de sua presença é a mulher que gerou sua vida, Maria. Pois é ela quem manda avisar ao filho, Estamos aguardando para entrar.  Natural que se pense algum privilégio nos cabe, afinal mãe e irmão é família. Mas, e aqui nosso assombro, o Mestre devolve o anunciado com a pergunta incômoda, Quem é minha mãe? Certamente está fora de si quem não reconhece a própria mãe e esse foi o diagnóstico a que chegaram rapidamente quem o ouviu. E acredito que a reação de qualquer pessoa não poderia ser diferente. Quem é sua mãe, você a reconheceria de olhos fechados no meio de uma multidão? Quem é sua mãe, ela estaria do seu lado quando todos já tivessem o abandonado? Quem é sua mãe, um desconhecido numa terra estrangeira faria mais por você que ela? O mestre nos convida a uma reflexão profunda e chegaríamos mesmo a nos perguntar, Esse é meu filho? Oportunamente a conclusão do episódio não nos  Jesus que nos permitem algum alívio: Quem fizer a vontade de Deus, essa será minha mãe, meu irmão e minha irmã.
permite saber se alcançaram o almejado quem estava excluído. Aos invés disso ecoam as palavras proferidas por


domingo, 4 de setembro de 2011

Palavras pra dizer te amo

Uma fagulha da sua vontade fez ponte
entre a vida e o porvir,
trouxe harmonia entre notas de coração
e acordes de cabeça.
Idiossincrasia seu olhar
E sinto o perfume que é seu nome
Então, abro os olhos e ouço o coletivo
venho embriago da mistura de perfumes,
 vêem amalgamadas as vozes num texto único,
importa ruídos de motor e

o vento entra pela janela.
Particular como um presente de vida,
desses que só se ganha quem precisa,
oportunidade única de travessia
é o Amor que me foi dado a conhecer.

Agosto em Tel-aviv

Agosto despedaçado,
mês sete.
Dias de indefinição...
Quantos palestinos
morreram em Tel-aviv?

Saio cedo, navego longe.

A liberdade que já não cabe no mundo  tem morada no meu barco.  Saio cedo, navego longe.  Também pesco palavras fora do lugar.  Se sant...