sexta-feira, 6 de maio de 2011

Muca, Gosto dela "Bárbara Eugênia Ampliada"




Dica: veja Grêmio recrativo 'volume dois'
- projeto de Arnaldo Antunes para a Mtv, mensal -




Ana Elisa disse (no orkut)

eu to com saudade da nossa amizade do tempo que a gente amava se ver!!!

sinto
falta de vc e a palavra que me cura ninguem vai dizer ... cada coisa
que eu consego quero dividir contigo nao vai ser facil esquecer!!!

amo
voce nunca duvide disso lembro sempre de meus amigos e conto os dias,
as horas e os minutos para quando podermos nos ver.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Lasanha de bróculis com catupiry (Tanísia por e-mail)

Nossa, seu blog ta bombando né.
Vc está produzindo muito
é bom te ver assim
estamos preparando a lasanha
mas esquecemos o macarrão
kkkkkkkkkkkkk
o vitor foi buscar no supermercado
preparei o molho branco com requeijão tipo catupiry
e creme de leite, já que sou alérgica ao leite
acho que vai ficar uma delicia
vem ficar uma semana com a gente
pra gente prosear a vontade
em anexo mando duas fotos especiais pra vc!
putz
só uma
to perdida em meio as fotos aqui
depois te mando
bjos

Lasanha de Brócolis com Catupiry

cLasanha de Brócolis com Catupiry
Lasanha de Brócolis com Catupiry

Ingredientes

  • 1 pacote de massa de lasanha  pronta (direto ao forno)
  • 3 tomates cortados em cubo
  • 1 maço de brócolis
  • 1 litro de leite
  • 4 colheres de amido de milho (maisena)
  • 1/2 pacote de creme de cebola
  • 2 colheres de azeite
  • 400 g de mussarela
  • 200 g de catupiry
  • 2 colheres de alho frito crocante
  • 2 dentes de alho

Modo de Preparo

1. Cozinhe o brócolis (de preferência no vapor).  Depois de cozido refogue junto com o tomate, 2 colheres de alho frito e 1 colher de azeite. Reserve.
2. Em uma panela grande coloque o azeite, o alho, o creme de cebola e o leite com o amido de milho já diluído. Leve ao fogo baixo mexendo sempre até engrossar, obtendo assim um molho branco cremoso.
3. Monte a lasanha em uma forma começando com o molho no fundo, a massa, o recheio, catupiry e a mussarela, repita as camadas terminando com a mussarela e jogando o restante do molho por cima de tudo. Certifique-se de que tenha bastante molho para que a massa cozinhe.
4. Leve ao forno por aproximadamente 20 min, ou até que a massa esteja macia.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Prá que rimar amor e dor? (Escrito em 12 de junho de 1989)

Abobrinha a doze de junho (título original) para um cartão do dia dos namorados a pedido de um amigo para sua namorada.


Arpoar a baleia
sentir sua dor
Chorar com ela
Morrer

A vida se renova
O sol se põe
Refulgia com a aurora
o explendor do seu nome

Nem mesmo essa dor
comparada à minha
É tão grande quanto
falar de ti na tua ausência


Escrito dentro da fábrica, quando ainda trabalhava no grupo Sândalo -
sessão de corte cujo chefe era o  - finado e estimado - Eliseu)

Luta de classes (escrito em 1997)

Do pódium eu os vejo
Esses são todos os meus funcionários
Todos os meus livros
Todos os meus súditos
São esses os meus domínios
Todos os meus termos
posses minhas
Isso sou eu, é tudo
Nada sou
Do pódium sou visto


escrito dentro da fábrica, quando ainda trabalhava no grupo Sândalo -
sessão de corte cujo chefe era o  - finado e estimado -Eliseu)

Violência na porta da escola - todo fato merece sem reavaliado ( do jornal Comércio da Franca)

Turma de estudantes ataca policiais no Jardim Redentor

Autor(a): Barros Filho Função: Repórter 
Foto(s): Tiago Brandão/Comércio da Franca
Data: 04/05/2011



ARMAS - Cabo de vassoura e pedras foram usados por grupo de jovens na porta de escola para agredir os policiais militares
Policiais militares da Ronda Escolar que tentavam abordar um suspeito de tráfico de drogas em frente à Escola Estadual “Laura de Melo Franco”, no Jardim Redentor, foram cercados e hostilizados por mais de 60 pessoas, a maioria jovens entre 11 a 15 anos que usavam uniforme da escola. A confusão generalizada aconteceu no início da tarde de ontem. Um dos policiais foi agredido na cabeça com um cabo de vassoura. Objetos foram atirados para todos os lados e uma pedra danificou a viatura. A situação só foi controlada com a chegada de outros policiais e o uso de gás pimenta. Uma pessoa foi presa em flagrante por danos ao patrimônio público. Vizinhos do estabelecimento afirmaram que alunos da escola, revoltados com a ação policial, deram início à confusão.
Denúncias de tumultos na entrada e saída dos alunos, além do tráfico em frente à escola, segundo a PM, são freqüentes. Ontem, após nova ligação para o 190 informando sobre a venda de drogas, os policiais cabo Henrique e soldado Gilson se deslocaram ao local. Eles se depararam com um suspeito de 16 anos. Ao avistar a viatura, de acordo com o cabo da PM, o jovem colocou algo na boca e foi abordado. “Ele resistiu, se jogou no solo e cobriu a cabeça com as mãos, mascou algo e engoliu. Neste instante teve início a confusão. Eu me vi, junto com meu parceiro, cercado por mais de 60 pessoas”, disse Henrique.

A confusão começou no horário de saída da turma do período da manhã e entrada dos alunos da tarde. Com xingamentos e gritos de “solta ele”, a turma cercou a guarnição da Ronda Escolar. O cabo Henrique foi atingido na cabeça por um cabo de vassoura. “Quando vi, me deparei com um menino de cerca de 11, 12 anos, que soltou o cabo e sumiu no meio da multidão.” A viatura foi atingida no teto por uma pedrada atirada, segundo os policiais, pelo desempregado João Paulo Dias Américo, 18, residente na Vila Santa Terezinha.

A situação só foi controlada com a chegada de outras viaturas e a multidão se dispersou. Um grupo de estudantes acusou os policiais de agressão, o que foi negado pelo tenente Júnior. “Houve o uso de força moderada e gás pimenta para conter os indivíduos e não ferir ninguém. O uso da força física por parte dos policiais foi até a quebra da resistência por parte do indivíduo detido.”

Em poder do menor de 16 anos, os PMs localizaram uma caixa com papel de seda que ele confessou ser para o consumo de maconha. O adolescente foi conduzido junto com o desempregado acusado de atirar a pedra até o 5º Distrito Policial. O primeiro foi ouvido e liberado. João Paulo foi autuado em flagrante por danos e recolhido no CDP.

Ps.: Foi a providência divina a minha ausência na escola ontem, fico mais doente vendo essa infelicidade toda.

terça-feira, 3 de maio de 2011

0,05 cents e a consulta com o doutor Júlio

Cada coisa tem o seu valor e, mesmo uma coisa pode ter mais de um valor. Como assim? As coisa possuem um valor relativo, damos mais valor pelo que está na moda e não valorizamos quem faz moda, sei lá poderia dar outros exemplos mas tenho algo pra contar.
Saí hoje as 12h de casa rumo à Casa  do Diabets. Não, não sou diabético mas faço uma espécie de rastreamento das possíveis cécula da extinta tireóide que fora afetada por um cancês já estirpado. Antônio Baltazar, essa é a voz do doutor Júlio chamando o próximo paciente eu, do lado de fora do consultório completo: Gonçalves. Entro e a consulta se transforma num momento isolado da correria, do mais do mesmo, e do "o de sempre"... A conversa tomou o rumo da literatua e da educação, do incentivo aos filhos para lerem mais. Ele sita Machado e em seguida o desafio que tem sido os Cem anos de solidão, do Gabriel Garcia Marques. Parece pig pong e já a música é o alvo da "consulta", entre um cometário e outro fico sabendo de "tudo" o que precisava saber da minha situação de paciente (digo, aquele que está ou esteve doente!). Competência clínica aliada ao carisma e educação pode ser uma solução para qualquer diagnóstico, foi isso. Então, comigo está tudo bem: mais um exame de sangue que procura, procura e procura, espero sinceramente que nenhum exame venha encontrar o indesejado mas.
Agora volto ao título do post, duas quadras antes de chegar na clínica encontrei uma moeda de cinco centavos na calçada, perto da esquina. Peguei. Ato e efeito, um adolescente gritou pra mim, Tio, deixa essa pra mim!? Ele estava no semáforo pedindo dinheiro e pediu aquela moeda que eu tinha achado. Hilário, hilário e triste, Deus te abençoe - disse e tornou tudo mais triste ainda.
O maior valor, sei que é clichê, é sem dúvida a vida. E nenum vivo pode discordar.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Tomo dois (escrito em 16 de julho de 1990)

Meus olhos postos de lado
me olham de cima da mesa
Não me reconheço, espiam.


Os deuses não merecem nossa fé
nos faz morrer sem saber o que é a vida
Agora conheço suas armas
sei me defender mas, estou cego


E só depois de vinte e trê capítulo
é que percebi que o filme era bom


O que são os homens senão monstros sonhados por uma
civilização antiga, aglutinada e clamando nos desertos de vidro
São vozes, os homens
São palavras
perdão, lembrança,
remorso, piedade
São primatas evoluindo
Grupo, espécie social, débil mundo. Religioso mudo. Cego.


E só depois de vinte e trê capítulo
é que percebi que o filme era bom


16 de julho de 1990

Giovani Claro, nítido (escrito em 15 de julho de 1992)

O nada pode ser o que é ainda não sendo , aos teus olhos
Tudo é tudo o que em si comporta sendo nada
Nada está contido
Comigo tudo bem

Escoa entre os dedos do tempo a vida que despele-se do sol
Nada é o que tenho nas mãos
Estou em nada contido
Contigo tudo é musical

15 de julho de 1992

( Para Giovani Claro, amigo durante 4 anos de formação no curso de História/UNESP Franca, que já não está mais entre os vivos nese planeta... mas, com certeza tocando violão em outro!!!)

A dança (escrito em agosto de 1991)

fêmea
supõe
audaz
astuta
se pensa
sedutora
se ganha trocado                                                                                       
do viril e macho                                                                                
nem sonha ela
quão con
des cen
den te
fora
a manha dele

Satanás é o nome do bicho

Satanás satanas, sai, chô, passa, ô bicho custoso! É meu gato, o Satanás, que outro nome te daria bicho bonito, cinza por completo, calda longa empinada e rabo a mostra, orelha pontuda e esperta, de passo lento como se tivesse nascido em Minas e, puf, já desaparece. E toda gente reclamando sai, chô, passa. De muro em muro, do pé de caqui prá lá do outro lado da praça, de volta ao muro e já sumiu de novo. Está quando ninguém quer e quando procuro ele vem, me gosta muito de mim... e parece que ri de tudo que falo, falando assim, sem gramático por perto! Mas, um dia de ruidade ou inveja dele deram cabo, e a sua natureza ficou permanecida na minha memória. Que diabo de bicho esperto, o bonito do satanás! Que se não existisse teria inventado só pra tirar de vez essa crueldade que é tirar da vida a vida de um bicho inocente.

Há mais mitologias entre o céu e a terra do que você pode imaginar

Gosto, e não é pouco, da mitologia, o estudo dos mitos. Ajuda a gente a aceitar mais as diferenças que existem entre os povos. A mitologia humaniza mais mostrando que todos nós temos origens comuns, aparentadas, sabe? Josefh Campbell é o cara! Grande estudioso do tema, uma graça de pessoa (vide a entrevista com Bill Moiers: O poder do mito - disponível no formato de livro).
Joseph Campbell foi um dos maiores estudiosos de mitologia do mundo. Todo nerd que se preze sabe que George Lucas o consultou para ajudá-lo na elaboração da trilogia original de Guerra nas Estrelas. Se você se diz nerd e não sabia disso vou revogar sua carteira.
Em seu livro mais famoso, O Herói de Mil Faces, Campbell apresenta o resultado de seus estudos de mitologia e religião comparadas, mostrando que diferentes culturas possuem narrativas similares quando se trata de contar os feitos de seus heróis.
A isso Campbell deu o nome de Monomito (ou Jornada do Herói), que, basicamente, é estruturada assim: um herói vindo do mundo cotidiano se aventura numa região de prodígios sobrenaturais; ali encontra fabulosas forças e obtém uma vitória decisiva; o herói retorna de sua misteriosa aventura com o poder de trazer benefícios aos seus semelhantes.
Se você pegar qualquer história de ficção vai encontrar essa estrutura. Ela é básica, assim como a estrutura em 3 atos (começo, meio e fim). Mas a utilização dessa estrutura não garante que a obra seja boa – isso já é outra coisa.
Quando falamos de heróis, estamos falando de motivação. Todo herói que se preze tem um objetivo a cumprir, aquilo que o move – mesmo que no princípio ele renegue esse motivo. Vejamos o Homem-Aranha: ele ganha poderes, usa para ganhar dinheiro, começa a ficar egoísta, deixa um ladrão escapar, o ladrão mata o tio (que tinha lhe ensinado que com grandes poderes vêm grandes responsabilidades). Então, Peter Parker fugiu do chamado à aventura, mas depois se vê forçado a aceitá-lo. Vingar a morte do tio e defender os fracos usando seus poderes vira sua razão de viver.

Atualizando a linguagem sobre o mesmo tema!

Tarantino leu Campbell...



(Geoge Lucas bebeu na fonte...)
(A Fonte! entrtevista: o poder do mito)




http://pt.scribd.com/doc/7287491/Joseph-Campbell-O-Heroi-de-Mil-Faces
http://pt.wikipedia.org/wiki/Joseph_Campbell

DIA DOS NAMORADOS, PRA FALAR DE AMOR

Pode parecer estranho evocar a imagem de uma casa em ruína para falar de amor no dia dos namorados. Para falar de amor toda metáfora alça v...